Rollemberg entra no jogo e ajuda a eleger Celina Leão como presidente da Câmara Legislativa

Celina LeãoA deputada distrital Celina Leão (PDT) foi escolhida na tarde desta quinta-feira, 1º, como presidente da Câmara Legislativa para os próximos dois anos. Cerca de 16 deputados votaram favorável a pedetista depois de muita negociação. Liliane Roriz (PRTB) foi escolhida pela maioria como vice- presidente da CL.

Continuar lendo

Boquinhas e chantagens são, na verdade, contra o DF

ChicoPor Francisco Paula Lima Júnior

Desde o anúncio do resultado do segundo turno das eleições em nosso DF, tomou conta da nossa imprensa e, especial dos blogs (este espaço em franco crescimento pela sua competência e importância), notícias do tipo: partido tal se acha mais importante e “dono” de parte significativa do próximo governo, por determinado motivo; lideranças A e B se acham no direito de indicar tais e tais secretários, pois somaram com quantidade X de votos com a sua legenda; Câmara Legislativa engessa o próximo governo; distritais reclamam cargos; administrações regionais servirão para acalmar parlamentares; atual governo deixa rombo de 3,8 bilhões e algumas “armadilhas” para seu sucessor; e por aí vai.

Continuar lendo

Chico Vigilante, a demolição, a prisão e a gangue da JC Gontijo

Chico VigilanteExiste uma gangue que atua livremente no Distrito Federal, com tentáculos na Secretaria da Habitação, no Tribunal de Justiça e no meio empresarial. O cérebro pensante da organização criminosa funciona na JC Gontijo. Quem diz isso é o deputado Chico Vigilante, líder da bancada do PT na Câmara Legislativa. O parlamentar  afirma ter sido detido sem culpa aparente por uma oficial de Justiça e ameaçado por um juiz por mais de três horas, na segunda-feira 15, e pediu providências à Mesa Diretora. A impressão que se tem, garante, é a de que o Legislativo brasiliense está sendo vilipendiado.

*São informações do portal Notibras

Declarações polêmicas marcaram julgamento do deputado Rôney Nemer

Reprodução

Reprodução

Por Fred Lima

O deputado distrital Rôney Nemer (PMDB), eleito deputado federal este ano, foi condenado por unanimidade pela 3ª Turma Cível do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT). A condenação por improbidade administrativa se deu por envolvimento do parlamentar no escândalo da Operação Caixa de Pandora, em 2009, que resultou na queda do então governador José Roberto Arruda. Condenado em segunda instância com três votos, Nemer ainda poderá recorrer ao Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Um dos acontecimentos que mais chamaram atenção durante o processo de investigação e julgamento de Rôney Nemer foram as declarações do desembargador relator Mario-Zan Belmiro e de Durval Barbosa, delator do mensalão do DEM. “A corrupção não se faz à luz dos holofotes, por isso há dificuldade em se chegar à verdade real”, afirmou o relator. A declaração pode gerar interpretações variadas, como a de que não havia indícios suficientes para a condenação de Nemer.

Já Durval foi ouvido em primeira instância e afirmou: “Rôney tem por vício rezar muito e pedir emprego, mas nunca dei dinheiro para ele”. Vale lembrar que um dos requisitos da delação premiada é o delator não poder mentir. Caso o contrário, se perdem os benefícios da delação. Por que então o depoimento de Durval Barbosa não foi acatado pela Justiça?

As declarações, principalmente a de Durval Barbosa, podem servir de munição para Rôney tentar reverter o resultado no STJ. Caso não consiga, seu cargo de deputado federal provavelmente será preenchido por seu suplente, o deputado distrital Alírio Neto (PEN), que é conhecido no DF por ser um grande idealizador de projetos sociais.

Da Redação

 

Sociedade reage à auto-blindagem na Câmara Legislativa

Após manifestações populares deputados podem rever resoluções de auto blindagem

Após manifestações populares deputados podem rever resoluções de auto blindagem

Associação Adote um Distrital entrega Carta Aberta à Sociedade Civil a todos aos distritais em repúdio aos PRs 81 e 82/2014 que blindam parlamentares da Câmara Legislativa.

Por Kleber Karpov

A tentativa dos deputados distritais da Câmara Legislativa do Distrito Federal de impedir que os colegas, os cidadãos e entidades possam fazer representação contra os parlamentares por falta de decoro parlamentar, sob a alegação de evitar perseguições políticas, despertou a reação da sociedade civil organizada.

Na última quarta-feira (12) aconteceu a votação ‘relâmpago’ de dois Projetos de Resolução (PR), de nº 81/2014 e nº 82/201, que tramitaram secretamente e foram aprovados em primeiro turno na CLDF (12 ). O primeiro impede que os parlamentares votem a cassação de colegas por falta de decoro parlamentar, antes que o processo seja transitado e julgado na Justiça. O segundo que o cidadão possa entrar com a mesma representação contra o distrital. Esses PRs devem que ir à votação, em segundo turno, no prazo de 10 dias.

Os cidadãos e algumas entidades organizadas demonstram a indignação com esse ‘golpe’ na democracia. No dia seguinte, em reportagem para o SBT Brasília (13), representante do Movimento de Combate a Corrupção Eleitoral (MCCE) e a presidente do presidente do Instituto de Fiscalização (IFC), Jovita Rosa, mantenedora do projeto Adote um Distrital, considerou a iniciativa da CLDF “uma aberração”. Na tarde de Ontem (17), moradores e representantes de movimentos sociais se manifestaram contrários as ações dos distritais durante audiência pública no plenário da CLDF.

A expectativa é que hoje, durante o Colégio de Líderes, o presidente da CLDF, Wasny de Roure (PT), deve propor o adiamento em relação ao PR 081/2014 bem como a retirada de pauta da PR 082/2014. Segundo Rosa, apenas retirá-los de pauta pode não resolver o problema: “É preciso acabar com esses projetos”, afirma ao observar que adiamentos deixam abertura para ressuscitá-los posteriormente.

INCONSTITUCIONALIDADE

O IFC/Adote um Distrital encaminha hoje uma carta Aberta à Sociedade Civil aos 24 parlamentares da CLDF em que repudia a ação dos deputados. No documento a Entidade adverte sobre a inconstitucionalidade do PR 81/2014, por ferir a Constituição Federal e a Lei Orgânica. O IFC alerta ainda aos prejuízos à CLDF, em descrédito perante a população do DF e à democracia.

Em entrevista ao Correio Braziliense (15), o secretário-geral adjunto da OAB-DF, Juliano Costa Couto, também observa que as duas proposições podem ser questionadas juridicamente.

QUEM ASSINA OS PROJETOS DE RESOLUÇÃO

Assinam os PRs os deputados distritais Agaciel Maia (PTC), Alírio Neto (PEN), Arlete Sampaio (PT), Aylton Gomes (PR), Benedito Domingos (PP), Celina Leão (PDT), Chico Vigilante (PT), Claudio Abrantes (PT), Cristiano Araújo (PTB), Dr. Michel (PP), Liliane Rodriz (PRTB), Olair Franco (PTdoB), Prof. Israel Batista (PV), Robério Negreiros (PMDB), Rôney Nemer (PMDB), Wasny de Roure (PT) e Wellignton Luiz (PMDB).

Dos distritais que aprovaram a medida, Alírio e Liliane Roriz, ambos reeleitos, respondem a processos judiciais. Aylton Gomes e Benedito Domingos têm condenações por improbidade Administrativa.

Eliana Pedrosa e Joe Valle (PDT) já haviam retirado à assinatura do PR 81/2014 (12). Até o momento, Celina Leão (PDT) e Robério Negreiros (PMDB) retiraram as assinaturas do PR 82/2014 o que inviabiliza a tramitação do PR que precisa de no mínimo 13 assinaturas para ir à votação.

Fonte: Política Distrital

DF: Por ondem andam nossos representantes?

Por Ricardo Faria

O Distrito Federal está afundado em uma crise, isso já é um fato consumado. Os casos de violência aumentaram consideravelmente nos últimos dias, o abandono dos serviços públicos, que já não são tão eficientes assim, tem gerado um efeito cascata em vários setores, assombrando e prejudicando a todos, greves pipocam por todos os lados, e notícias desagradáveis não param de chegar do Buriti.

Mas ai eu pergunto; por onde andam os 24 deputados distritais, os oito deputados federais e os nossos três senadores eleitos pelo povo em 2010? Será que eles estão gostando do que estão vendo? Ou será que o ano já acabou para os políticos, e que este resto de 2014 só está servindo para “matar” o tempo à espera de Rollemberg? Enquanto isso, o governador Agnelo Queiroz vai tentando explicar o inexplicável. É nítido governador, que após a sua derrota nas últimas eleições, o GDF simplesmente parou. Ou seria isso um acontecimento inevitável, independente da derrota petista no DF? Mistério!

Mas o fato é, reeleitos ou não, os nossos representantes se esconderam feito cães assustados em dia de foguetório, já pensando em um governo que não assumiu ainda. Não existem mais representações junto ao Ministério Público, não existe um único e solitário discurso nas tribunas cobrando do atual governo uma reação, nem mesmo existe a vontade política de se pensar juntos em uma solução imediata para a crise instalada neste momento no DF.

E para exemplificar, sem que nada seja feito de fato em benefício do povo, a Câmara Legislativa do Distrito Federal segue pouco movimentada, e quando acontecem sessões, é para aprovar projetos que beneficiam somente os pares daquela Casa, pois agora, um parlamentar só poderá ser cassado após condenação judicial transitada em julgado, ou para melhorar um pouco para os nobres distritais, a votação do Projeto de Resolução que tira do cidadão comum o poder de apresentar representações por quebra de decoro parlamentar, está para ser votado em Plenário. Enquanto isso, descendo mais um pouco até o Congresso Nacional, a bancada do DF na Câmara dos Deputados é mais parada do que água de poço, e no Senado é tudo um mar de rosas.

Pelo visto 2015 é agora, e o povo que pague mais uma vez essa conta.

Fonte: blogdoricardofaria.blogspot.com.br


Quem pisou neste tomate?

images4C2VK5VXE quem pisou no tomate foi…

O deputado distrital Chico Vigilante (PT), ao tentar criar cortina de fumaça, criticando, ontem (12), no Plenário da Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF), os funcionários da empresa de transporte Pioneira, por causa da greve, alegando que estão chantageando o GDF, visando prejudicar o governador Agnelo Queiroz.

Chico, ninguém quer derrubar o Agnelo, viu? Ele já caiu no próprio buraco que cavou!

Por falar em Agnelo, todos os dias o governador pisa no tomate. Perdeu até a graça!

Da Redação

Rollemberg à beira do engessamento

RollembergCom a articulação do vice-governador Tadeu Filippelli junto à CLDF, o blocão do mal tende a crescer. O grupo liderado pelo deputado distrital Alírio Neto (PEN), que ficou como 1º suplente de deputado federal nesta eleição, não vai deixar nada fácil para o futuro governador Rodrigo Rollemberg.

Segundo fontes, o blocão está crescendo e tem como objetivo uma oposição ferrenha ao próximo governo. Há quem se lembre da única oposição vista na CLDF em toda a sua história: na época do governador Cristovam, ele enfrentou sem êxito grandes parlamentares, que eram encabeçados pelo ex-governador Joaquim Roriz.

O “nome” do blocão para a presidência da casa? Mistério. Há quem aposte em uma disputa feminina, que pode relembrar o passado de Tadeu Filippelli. Um reconhecimento das falhas cometidas? Talvez, quem sabe?

Resta saber a reação popular como será.

Fonte: Blog da Cris Oliveira

Bombeiros Militares devem manter representação na CLDF

Com  8.957 votos, Roosevelt Vivela deve assumir como deputado distrital na CLDF em Janeiro de 2015

Com 8.957 votos, Roosevelt Vivela deve assumir como deputado distrital
na CLDF em Janeiro de 2015

Por Kleber Karpov

Fonte segura aponta que o bombeiro militar, Roosevelt Vilela, eleito primeiro suplente pelo PSB, com 9857 votos, deve assumir uma das cadeiras da Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF), na posse dos Distritais, em Janeiro de 2015.
Vilela deve substituir um parlamentar que assumirá uma das Secretarias de governo. Com isso a corporação de Bombeiros do DF, que perdeu seu representante, Aylton Gomes (PR), por não se reeleger e ser enquadrado na Lei da Ficha Limpa pelo Tribunal Regional Eleitoral do DF, mantem um representante, da base do governo, na CLDF em 2015.
Fonte: Política Distrital